Blogger Widgets

[Resenha #146] Never Sky - Sob o céu do nunca de Veronica Rossi @editoraprumo


Título: Sob o Céu do Nunca - vol. 1
Autora: Veronica Rossi
Editora: Prumo
Gênero: Distopia
Ano: 2013
Páginas: 304

Sinopse:
Desde que fora forçada a viver entre os Selvagens, Ária sobreviveu a uma tempestade de Éter, quase teve o pescoço cortado por um canibal, e viu homens sendo trucidados. Mas o pior ainda estava por vir... Banida de seu lar, a cidade encapsulada de Quimera, Ária sabe que suas chances de sobrevivência no mundo além das paredes dos núcleos são ínfimas. Se os canibais não a matarem, as violentas tempestades elétricas certamente o farão. Até mesmo o ar que ela respira pode ser letal. Quando Ária se depara com Perry, o Forasteiro responsável por seu exílio, todos os seus medos são confirmados: ele é um bárbaro violento. É também sua única chance de continuar viva.
Perry é um exímio caçador, em um território impiedoso, e vê Ária como uma menina mimada e frágil – tudo o que se poderia esperar de uma Ocupante. Mas ele também precisa da ajuda dela, somente Ária tem a chave de sua redenção. Opostos em praticamente tudo, Ária e Perry precisam tolerar a existência um do outro para alcançar seus objetivos. A aliança pouco provável entre os dois acabará por forjar uma ligação que selará o destino de todos os que vivem sob o céu do nunca.


Resenha:


Aria vive em um mundo pós-apocalíptico diferente de qualquer um que podemos imaginar, na cidade cúpula de Quimera. Ela normalmente vive com a mãe, mas a mãe que é uma cientista está em outro local, Nirvana, para trabalho, o que deixa Aria sozinha.
Recentemente, Aria perdeu a conexão com sua mãe e ela está preocupada que alguma coisa aconteceu. A fim de obter mais informações sobre o paradeiro de sua mãe, Aria começa a sair com Soren, filho do chefe de segurança que está a par de uma grande quantidade de informações. Uma noite, eles decidem fugir para uma área restrita e, apesar de Aria saber que isso não é uma boa idéia, ela faz isso de qualquer maneira, com a esperança de que ela vai passar alguns momentos com Soren e obter algumas informações sobre Nirvana. Uma vez que eles entram na área restrita, devem desativar seus "olhos mágicos" que os conectam com Quimera. Soren começa a agir violentamente e ele e seus amigos estão obcecados em fazer fogo, pois elas nunca viram um de verdade. As coisas dão tragicamente errado e Aria quase morre, mas, felizmente, Perry, um "selvagem" do mundo exterior a resgata. À medida que a história avança, as coisas ficam mais loucas para Perry e Aria e eles se encontram como aliados improváveis ​​eu uma missão para encontrar não só a mãe de Aria, mas o sobrinho de Perry também.

O personagem de Aria não me cativou tanto assim, e está é umas das poucas vezes que eu não gosto tanto de uma protagonista. O que eu realmente gostei foi do seu vínculo com a mãe. Ela não iria desistir até encontrar algumas respostas sobre sua mãe e ela teve a sensação de que as coisas não estavam bem. No início do livro, Aria não tem as habilidades de que necessita para sobreviver no mundo exterior, o que é extremamente perigoso. Existem várias tribos e as tempestades de Éter que são extremamente perigosas e que podem matar instantaneamente. Aria ganha habilidades de sobrevivência através de sua amizade com Perry, que no início ela considera ser um "selvagem", e abaixo dela.

O ponto de vista fica entre Aria e Perry, que foi bem feito. Eu gostei de ver sobre a perspectiva de Perry e aprender mais sobre seu passado como um forasteiro. Sua relação com seu sobrinho é tocante.

"- As nuvens se dissipam? - perguntou ela.
- Completamente? Não. Nunca
- E quanto ao Éter? Ele some em algum momento?
- Nunca, Tatu. O Éter nunca some.
Ela olhou pra cima.
- Um mundo de nuncas sob o céu do nunca." pág.116



"Ele só conseguiu pensar em como ela estava na noite da tempestade de Éter. As curvas de seu corpo, sua pele macia junto à dele." Pág. 154


"Ela sobrevivera ao lado de fora. Sobrevivera ao Éter, a canibais e lobos. Agora sabia amar, e deixar o outro ir. Independentemente do que viesse, ela também sobreviveria." Pág. 319

Uma coisa que eu lutei para aceitar foi o romance de Perry e Aria. Ele realmente não funciona para mim. Parecia, de repente se desenvolver a partir do nada e, infelizmente, eu não fui cativada por eles. Mas eu amei Perry. Ele é nobre, honrado e altruísta, sempre levando os outros em consideração. Todas as suas ações foram justificadas e eu senti que ele sempre quis o melhor para todos.
Eu senti absolutamente nenhuma conexão com Aria. Ela parecia fria e distante, não em suas ações, mas a forma como ela foi escrita. Existem inúmeras mortes, alguns dos quais estão perto dela, e ainda assim ela só poupa uma lágrima ou duas, e certamente não é tocada por isso. Perry definitivamente fez é o personagem que mais gostei nesse livro. Também gostei de Roar, ele é bem-humorado, nobre e aberto. Eu realmente sentia pena por sua situação com a irmã de Perry, Liv, e eu não mal posso esperar para ler mais sobre os dois. Roar é o amigo perfeito para Perry, e eu adoro ler como eles interagem uns com os outros e como Roar e Aria se dão bem.

O mundo que a autora inventou é brilhante, ela criou uma distopia tão única que é completamente fascinante. O conceito de crescer em uma cúpula com acesso a vários reinos virtuais diferentes, onde as pessoas não sentem dor ou experimentam outras coisas horríveis é um conceito interessante que é justaposta pelo mundo de Perry como um "forasteiro ". Ele e sua tribo tem que caçar para se alimentar, lidar com as tempestades de Éter e outras tribos imprevisíveis que disputam espaço. Não há dúvida de que a autora, embora uma autora estreiante, magistralmente criou um ambiente extraordinário.

Mesmo não me conquistou tanto quanto eu esperava que fosse, eu gostei bastante da história, e ainda planejo ler a continuação. 

Para os fãs de distopias, você tem que ler Never Sky!


2 comentários:

  1. Oie Linda, tudo bem com você ?
    Peço mil desculpas por nào ter aparecido por esses dias aqui no seu cantinho, mas é que eu estava muito indisposta. Tive que deixar de visitar os blogs, pois não estava muito bem do estomago e nem da minha rinite =//

    Mas passei para ver as novidades e estava lendo a sua resenha anterior da Leila Rego que aliás estou doida para ler e também essa sua nova resenha que eu não conhecia o livro. Ambas estão muito boas, parabens...você soube expressar bem a história e principalmente achei legal você dar seu ponto de vista =] Muito legal mesmo. Mas gostei mais da resenha anterior (risos) Mas enfim...

    De qualquer maneira, peço desculpas mais uma vez minha querida. beijinhos e se cuida

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Michelle!
    Adorei sua resenha, principalmente pela sinceridade em destacar tanto os pontos positivos quanto os negativos.
    Comprei esse livro e estou louca para ler, mas ainda tenho outros na frente. rs

    BjO
    www.the-sook.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...