Blogger Widgets

[Resenha #263] O Poder da Espada - Joe Abercrombie @editoraarqueiro


Nome: O Poder da Espada
No Original: The Blade Itself
Autor (a): Joe Abercrombie
Tradutor (a): Alves Calado
Páginas: 480
Editora: Arqueiro
skoob
Classificação: 4 estrelas
Compre: Buscapé - Submarino

Sinopse:
Sand dan Glokta é um carrasco implacável a serviço da Inquisição de Sua Majestade. Nas mãos dele, os supostos traidores da Coroa admitem crimes, apontam comparsas e assinam confissões – sejam eles culpados ou não. Por ironia, Glokta é um ex-prisioneiro de guerra que passou dois anos sob tortura. Mas isso nunca teria acontecido se dependesse de Logen Nove Dedos. Ele jamais deixaria um inimigo viver tanto tempo. Só que isso foi antes. Agora ele está decidido a mudar. Não quer ser lembrado apenas por seus feitos cruéis e pelos muitos inimigos que se alegrarão com sua morte. Já a felicidade do jovem e mulherengo Jezal dan Luthar seria alcançar fama e glória vencendo o Campeonato de esgrima, para depois ser recompensado com um alto cargo no governo que lhe permitisse jamais ter um dia de trabalho pesado na vida. Mas há uma guerra iminente e ele pode ser convocado a qualquer momento. Luthar sabe que, nos campos do Norte gelado, o embate segue regras muito menos civilizadas que as do esporte. Enquanto a União mobiliza seus exércitos para combater os inimigos externos, internamente se formam conspirações sanguinárias e um homem se apresenta como o lendário Bayaz, o Primeiro dos Magos, retornando do exílio depois de séculos. Quem quer que ele seja, sua presença tornará as vidas de Glokta, Jezal e Logen muito mais difíceis. Agora a linha que separa o herói do vilão pode ficar tênue demais.


Resenha:


"O poder da espada" é o primeiro livro de uma trilogia. Tal como acontece com muitas trilogias, o primeiro livro da série é usado para nos apresentar a sua variação de personagens típica de fantasia.

O livro centra-se principalmente sobre três principais protagonistas, cada um com a fala de suas respectivas perspectivas. Cada uma dessas três histórias tem seu próprio estilo, e todos eles se entrelaçam, mas de maneira sutil. A primeira história é a do cínico inquisitor Glotka, que trabalha como um torturador, a serviço da Inquisição de Sua Majestade. Ele é definido pelo seu superior por erradicar a corrupção entre a classe comerciante, e descobre uma conspiração que poderia ameaçar a frágil paz com o Império Ghurkul do sul, assim como a União está prestes a ir para a guerra com os bárbaros do norte. Ele é um homem amargo e cheio de raiva, depois de ter sido capturado e torturado na última guerra da União e ficar aleijado e desfigurado. Glotka não tem ilusões sobre si mesmo: ele é um vilão cuja vida não tem valor fora de sua utilidade para aqueles acima dele. Mas quando suas investigações brutais transformam-se em evidência de uma conspiração real, Glotka está disposto a ignorar as advertências de seus superiores e levar o caso para além do ponto de segurança.

Jezal den Luthar é o mais recente menino de ouro da sociedade, sem planos para o seu futuro, que não seja um cargo confortável no governo e todo o vinho, mulheres e jogos de azar que ele pode ter. Ele é um dos mais recentes candidatos inscritos no mesmo concurso de esgrima que Glokta venceu em sua juventude. Infelizmente, Jezal prefere beber e jogar cartas com seus companheiros, para o desespero de seus treinadores. No entanto, quando Jezal se apaixona pela irmã de seu amigo, ele descobre uma nova motivação.

O terceiro dos personagens principais é Logen Nove Dedos, um notório assassino cruel. Cansado de seu estilo de vida, Logen chegou a um ponto onde ele terá escolhas a fazem com base na moral, pois está cansado de matar. Infelizmente, ele não pode deixar o seu passado criminoso para trás, porque o rei do Norte, Bethod tem suas atenções voltadas para conquistar as terras do sul. Logen vai para o sul para encontrar o Mago Bayaz, e este o recruta para ajudar a frustrar os planos expansionistas do rei do Norte, e isto dá a Logen algum tipo de propósito.

Esta premissa aparentemente simples, torna-se maravilhosamente enredada com vários segmentos de intriga, velhas lealdades, traições, e guerra que transporta o leitor para dentro da história.
 

Os personagens são excepcionalmente bem desenvolvidos. Dois se destacam neste aspecto, Logen e Glokta; Jezal, o terceiro personagem principal, é chorão, egoísta e arrogante. A beleza desses personagens é que o autor consegue transmitir suas diversas personalidades imediatamente com sua escrita.

Logen está tentando ser um homem melhor, o objetivo do auto- aperfeiçoamento foi um dos principais contribuintes para a sua decisão de deixar o Norte, porque, aparentemente, uma sociedade cuja interação cultural básica é a violência pode ser um má influência. Sua luta para superar a si mesmo é surpreendentemente atraente, especialmente tendo em conta os obstáculos que ele enfrenta.

Glokta é um personagem igualmente interessante, e de uma forma menos artificial. Uma vez que é um herói de guerra, aleijado nas mãos de torturadores e agora trabalha como um inquisidor. Ele odeia ser aleijado, e ele odeia a si mesmo pelo o que ele faz, apesar de mostrar apreciar o seu trabalho. Ele despreza Jezal, que é tudo o que ele costumava ser, exceto menos talentosos e menos inteligente. Ele é um personagem complexo e fascinante.

O autor consegue de forma magistral fazer malabarismos com várias tramas e trazer seus personagens a um ponto onde suas histórias começam a se sobrepor. Isso é importante para uma história com tantos enredos. O autor mantém todos juntos de forma brilhante, a construção da história é dada de forma lenta e dá ao leitor um tempo maior para enraizar-se em uma trama antes que ele gire para outra parte com sua a escrita afiada e humor negro.

A única crítica que tenho é a total falta de personagens femininas. O autor certamente pode escrever personagens femininos, como é amplamente demonstrado por Ardee. Seu diálogo e personalidade são bons. No entanto, ela, como a única mulher no livro, existe apenas como um meio de motivar os personagens principais masculinos. Ardee não é dada nenhuma verdadeira motivação própria.

O livro é bem escrito. Suas lutas são intensas, sangrentas e mistura ação e introspecção. Além de excelentes caracterizações e de uma construção de mundo fascinate, o autor escreve excelentes cenas de luta. 




A capa do livro é bonita, a diagramação, revisão e tradução excelentes!

"O poder da espada" é inteligentemente escrito, uma estréia sofisticada com personagens convincentes e uma trama complexa. Eu recomendo este livro para os leitores de fantasia mais ardorosos e fãs de George R.R. Martin, pois vão encontrar muitas coisas para admirar no complexo mundo de fantasia corajosa de Joe Abercrombie, onde sombrias conspirações políticas disputam com os males antigos como ameaças à nação.


15 comentários:

  1. Parece ser legal! Não faz muito o meu estilo de livro mas achei interessante a história!

    http://alguns-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. O livro já possui um ponto a favor, por ter uma capa que chama atenção. agora sobre a história, adoro tudo relacionado a espada e lutas de época. Vou tentar ler este romance. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Um vilão que quer ser herói.... bem interessante..... A capa é muito bonita também...

    ResponderExcluir
  4. Adorei a resenha, parece ser bem interessante! Sou mais de romances, mas quero muito ler esse!

    ResponderExcluir
  5. Gostei demais da resenha. Parece ser um ótimo livro medieval, e eu gosto de histórias assim, embora esteja cansada de ler continuações.

    ResponderExcluir
  6. Faz tempo que não leio nada medieval, gostei desta opção.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  7. Esse tipo de enredo me encanta e acredito que a série tenha tudo ara ser um sucesso. A resenha está muito bem feita e achei bacana como você observou a falta dos personagens femininos. Mas no geral, com as cenas de batalha bem descritas e bons personagens, acho que é uma história empolgante.

    ResponderExcluir
  8. Uma capa como essa já é meio caminho andado pra me encantar. O tema do livro também chama bastante atenção. Confesso que não tenho o costume de ler temas mais "antigos", talvez porque sempre remetem as aulas de história. Mas fiquei bem interessada nesse livro.

    ResponderExcluir
  9. Suuuper legal. Adoro esse tipo d livro

    ResponderExcluir
  10. A capa é linda, o gênero muito me agrada e promete ser uma boa trilogia. Só foi vc falar em G.R.R.M que já me deu mais um motivo pra ler o/

    ResponderExcluir
  11. Eu acho super massa quando um autor consegue dar a mesma importância para três protagonistas na mesma trama. E gosto também quando os protagonistas são uma espécie de "anti-herói". Como gosto de fantasias épicas, banhadas a muita ação e aventuras, tenho certeza que posso gostar dessa.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  12. A capa é mesmo muito bonita! Eu gostei muito da resenha e tenho certeza de que vou gostar da história. Mas esse lance de quase não ter personagem feminina é bem estranho. rs
    Espero ter a oportunidade de ler!

    ResponderExcluir
  13. Esse livro me pareceu ser ao estilo Bernard Cornwell, o que achei super legal. Gosto de histórias assim que tratam de batalhas e guerras com excepcional maestria. Fiquei curiosa para conhecer esse autor e sua obra =)

    Bjs
    @tibiux

    ResponderExcluir
  14. Parabéns pela resenha.
    Amei a capa do livro e ele pareceu ser bem legal, a história que mais me intrigou foi a do Glotka e deu uma vontade imensa de ler esse livro que parece ser bem escrito e com um bom enredo.

    ResponderExcluir
  15. Sou fã de livros de fantasia, pela resenha este livro parece ser bom, espero ansioso para te-lo em mãos.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...