Blogger Widgets

[Resenha #270] As Cavernas de Aço - Isaac Asimov @editora_aleph



As Cavernas de Aço
Isaac Asimov
ISBN:978-85-7657-150-6
Edição:1ª edição
Ano:2013
Número de páginas:302
skoob
Classificação: 5 estrelas
Compre: Buscapé - Saraiva

Sinopse:

Este é a nova versão do livro antes lançado no Brasil como "Caça Aos Robôs" pela editora Hermus e em 2013, relançado pela editora Aleph com o nome de "As Cavernas de Aço", tradução mais correta do original Caves of Steel. Em Nova York, o investigador de polícia Elijah Baley é escalado para investigar o assassinato de um embaixador dos Mundos Siderais. A rede de intrigas envolve desde sociedades secretas até interesses interplanetários. Mas nada o preocupa tanto quanto o seu parceiro no caso, cuja eficiência pode tomar o seu emprego, como acontecera com seu pai no passado. Pois seu parceiro é um robô. Publicado no início da década de 1950, As Cavernas de Aço é o primeiro romance do consagrado Ciclo dos Robôs de Isaac Asimov, mesclando de forma magistral os gêneros de ficção científica e literatura policial.


Resenha:

Nesse primeiro romance de robô de Isaac Asimov, ele introduz um mundo onde, mil anos a partir de agora, a Terra colonizou 50 planetas, e estes são prósperos, tiveram um grande avanço tecnológico, uma ótima qualidade de vida, com pouca população e dependente de robôs para os trabalhos. Enquanto que na Terra, continua quase igual ou pior do que é hoje, tem oito bilhões de pessoas que vivem e trabalham dentro de grandes cidades fechadas subterrâneas- as cavernas de aço - onde ninguém vê a luz natural, nem pode respirar ar fresco, a comida é apenas uma levedura que é artificialmente aromatizada, não se tem mais privacidade. Os robôs estão assumindo postos de trabalho de cidadãos comuns da Terra. E há crescente preconceito anti-robô que frequentemente resulta em tumultos, manifestações e destruição de propriedade.



A história começa com o obstinado detetive Elijah Baley, é chamado para resolver o assassinado de Roj Nemennuh Sarton, um cientista Sideral, conhecido por ser a favor de robôs na Terra como melhoria na qualidade de vida da população e que com eles, iria melhorar o ritmo de crescimento tecnológico da Terra e ajudar a Terra a superar a sua xenofobia.
Baley e seu parceiro robô, R Daneel Olivaw - um robô quase humano na aparência e comportamento e que foi inventado por Roj - devem fazer o possível para evitar um conflito interplanetário, já que a morte de Roj foi vista como um ataque terrorista de uma organização que sabia desses planos de Roj, e, para dizer o mínimo, desaprovava fortemente. Mas, apesar disso, Baley não conhece células terroristas. Esta é, afinal, uma sociedade de tais costumes sociais restritivas que as pessoas nem sequer falam uns com os outros. No entanto, quando Baley e Olivaw prosseguem com o caso, indícios apontam para uma conspiração quase tão labiríntica como os túneis intermináveis das próprias cidades.



A capa ficou simples mais perfeita! A diagramação, revisão e tradução excelentes!

"As cavernas de aço" ultrapassa as fronteiras impostas pela convenção do gênero. Mais do que uma mera diversão, este romance é sobre a necessidade da humanidade de superar os medos e preconceitos que impedem nossa própria melhoria como espécie. Para os anos de 1953, isso já era uma idéia revolucionária. Hoje, pode parecer velho, mas, se o conflito racial e outros preconceitos ainda existem, esta é uma idéia que é ainda extremamente precisa. Não é de admirar que Isaac Asimov era, e ainda é, um dos verdadeiros mestres da ficção científica.



1 comentários:

  1. Oie,
    nossa eu já tinha ouvido falar da série, mas nunca li e não sabia muito bem do que se tratava.
    Adorei!!

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...