Blogger Widgets

[Resenha #406] Quem teme a morte - Nnedi Okorafor @geracaobooks



Quem teme a morte
Autora: Nnedi Okorafor
Gênero: Romance | Fantasia
Edição: 1ª
Páginas: 412
ISBN: 9788581301594
Selo: Geração
Skoob
Classificação: 3 estrelas
Compre: Submarino


Numa terra devastada por uma hecatombe nuclear, uma jovem e misteriosa mulher com o incomum nome de Onyesonwu – que pode ser traduzido como Quem teme a morte –  descobre que tem superpoderes e foi escolhida para salvar a humanidade. Este seria um  romance distópico como qualquer outro se não transcorresse na África e sua autora não fosse a surpreendente Nnedi Okorafor, elogiada pelo prêmio Nobel nigeriano Woyle Soyinka. Fantasias, batalhas, tradições e alta tecnologia, sonhos, visões, discriminação racial e sexual, tudo se mistura numa narrativa tensa e poética que confere uma nova linguagem para os romances do gênero.


Resenha:

A protagonista é Onyesonwu, uma Ewu, nascida da dor, e seu nome traduzido significa Quem teme a morte. Ela é fruto de um estupro que a mãe dela sofreu, devido à uma guerra entre as tribos Nuru e Okeke. Os Nuru são verdadeiros bárbaros, que querem destruir as pessoas da tribo Okeke, e eles estupram as mulheres da tribo e matam os homens.

A mãe de Onyesonwu não renegou sua filha, mesmo sendo ela originada de um estupro. Ela a criou da melhor maneira possível e a levou para longe dos olhos e julgamento discreminado do seu povo, vivendo uma vida nômade no deserto, onde sua filha poderia prosperar.


Sua mãe finalmente se casou com um homem que tratava Onyesonwu como sua própria filha sendo um pai para ela, e a família bravamente se reiterou novamente à sociedade, onde Onyesonwu lutou para se encaixar. Quando o pai morre, o mundo de Onyesonwu desmorona e ao mesmo tempo ela descobre que ela tem poderes. O povo dela passa a vê-la como pior que uma Ewu, ela é uma feiticeira Ewu. 


No futuro Sudão que vive Onyesonwu, a magia é muito real, e seus praticantes são ambos reverenciados e temidos. Como mulher, Onyesonwu luta para encontrar um lugar no mundo machista da feitiçaria, mas seus poderes falam por si, e ela finalmente encontra tanto um companheiro Ewu para compartilhar suas lutas e um feiticeiro que a contragosto a aceita como aprendiz.

A partir do momento que ela descobre o horror de sua própria concepção, ela resolve vingar sua mãe contra o guerreiro Nuru que a violou. Esta revelação coincide com a descoberta de seus poderes inatos como feiticeira e metamorfo.

Quando ela começa a compreender plenamente os seus poderes, Onyesonwu começa a ver que ela tem um papel importante a desempenhar no futuro de seu povo, pois a profecia diz que o poder dela irá reescrever o Grande Livro e salvar o mundo de uma nova hecatombe, e na companhia de seu parceiro Mwita e seus três melhores amigos, ela sai em busca de um caminho para parar a guerra entre a Nuru e Okeke.

Esta é uma história sobre o crescimento de muitas maneiras. A jornada de Onyesonwu de uma infância feliz, para uma idade onde ela tem poderes sobrenaturais. Através do livro, a vemos aprender, mudar e crescer, a partir de uma criança pequena a uma poderosa feiticeira, ela é moldada pelo mundo ao seu redor e é fascinante de se ver.

A história tem alguns personagens muito fortes, que crescem junto com Onyesonwu, tanto Mwita e Luyu cresce e muda, com as suas próprias experiências e aprendizados. Mesmo eles sendo personagens secundários, eles ainda são bem desenvolvidos em vez de apenas ser a extensão de Onyesonwu.

Confesso que esperava mais desse livro, pois tenho gostado muito de histórias distópicas, mas infelizmente esse livro não conseguiu me conquistar, achei a narração bem arrastada, mas com alguns momentos bons e a história no geral é bem bolada, poderia ter sido melhor desenvolvida.

Este livro fez um bom trabalho de analisar a marginalização. O tratamento da Okeke, o uso da religião para justificar a escravidão, abuso e genocídio, a idéia de superioridade racial, o abuso de Ewu, a culpa das crianças para as ações de seus pais, o bode expiatório de pessoas marginalizadas. Nós ainda vemos como até mesmo os amigos podem ter intolerância, mesmo quando sabem que eles estão errados. Também vemos como as pessoas de minorias são odiadas e elas tem que ter cuidado com o seu próprio comportamento, pois suas ações refletem em todo o grupo.


A capa é bonita, e a diagramação e revisão estão ótimos!

Muitos dos temas são tratados neste livro, entre eles a violência sexual e racial. A autora lida com tudo isso com firmeza, e não só traz alguma realidade para o mundo que ela criou, mas também me faz lembrar de coisas que acontecem em nosso próprio mundo. Desta forma, o livro tem a capacidade de fazer os leitores mais conscientes do mundo ao seu redor, e as pessoas nele.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...