Blogger Widgets

[Resenha #413] O Peculiar - Stefan Bachmann @galerarecord @Stefan_Bachmann


Título: O Peculiar
Título Original: The Peculiar
Série: O Peculiar
Autor: Stefan Bachmann
Editora: Galera Junior
Páginas: 271
Ano: 2014
Skoob
Classificação: 4 estrelas
Compre: Submarino


Parte romance gótico, parte mistério e aventura steampunk. Após a invasão do mundo pelos seres mágicos, as fadas foram aceitas entre os mortais, mas os mestiços não têm lugar. Os irmãos Barthy e Hettie vivem com medo. Tudo piora quando Peculiares são encontrados, ocos, boiando no Tâmisa. Mas eles estão seguros em Bath, não? Talvez... Se não fosse pela misteriosa dama em veludo ameixa que aparece na vizinhança. Quem é ela? E o que quer?


Resenha:

"O Peculiar" foi uma agradável surpresa, provando mais uma vez o quão fantástico um livro infanto-juvenil pode ser. Você vai descobrir o mundo vibrante, com steampuck e magia em uma Inglaterra Vitoriana, que irá te levar em uma aventura improvável.

A história começa em Bath, na Inglaterra. Uma porta mágica se abriu entre a Inglaterra e o mundo das fadas. E, um grande número de fadas atravessou para o mundo humano, houve uma grande guerra, e a porta se fechou, deixando um grande número de fadas presas aqui. Elas passaram a ser tratadas piores que pobres cidadãos da cidade, trabalhando em condições precárias nas fábricas, e vivendo em guetos, verdadeiras favelas. Mas, pior que isso, é o tratamento para os peculiares, que são os nascidos metade humanos e metade fadas. Eles são odiados por todos, pois são considerados aberrações por ambos humanos e fadas. Como resultado, eles vivem escondidos.



Bartolomeu, um dos protagonistas, é um deles, e juntamente com sua irmã Hettie e sua mãe, eles vivem na favela de Bath, onde eles se mantém longe dos olhos do povo, condenados a ficar escondidos para sua própria segurança, apesar que Bartolomeu quase pode-se passar por um humano, e por isso fica fora de casa um pouco mais do que sua irmã, que com ramos crescendo fora de sua cabeça, é muito óbvio que não é completamente do nosso mundo. Se for pega fora de casa pelas pessoas erradas, e reconhecida por aquilo que é, será morta por pessoas supersticiosas

Um dia, quando Bartolomeu percebe uma mulher misteriosa em um vestido cor de ameixa andando pelas ruas de Bath, sua curiosidade leva a melhor sobre ele. Ele silenciosamente a vê sair, apesar das instruções de sua mãe para ficar sempre escondido. Enquanto assistia, ele vê a mulher desaparecer, e logo a sua presença na janela não passa despercebida. Quem será essa mulher misteriosa?

Crianças peculiares começam a aparecer assassinadas de forma cruel e seus corpos ficam boiando no Tâmisa. Quem estaria por trás desse crime tão cruel?. Para piorar sua irmã mais nova Hettie é sequestrada. A partir de então, o seu mundo vira de cabeça para baixo e o único que pode ser capaz de salvá-lo é um funcionário do governo humano, o nosso segundo protagonista, o Sr. Arthur Jelliby, um jovem do Parlamento Britânico. Este herói relutante e improvável junto com Bartolomeu irão arriscar suas vidas para enfrentar alguns adversários muito determinados.

Bartolomeu e Arthur são personagens muito nobres e admiráveis. Apesar de serem muito diferentes, eles aprendem a ajudar e cuidar um do outro. A perspectiva de Arthur é legal e muito refinada, ele é um personagem muito forte, mas ainda mostra vulnerabilidades em alguns casos. Apesar de seus movimentos serem calculados, ele mantém silêncio sobre tudo o que ele pensa, e enfrenta suas lutas de forma muito elegante. Ele abre caminho para resolver o mistério apesar de ter ser uma tarefa perigosa.

Esta é definitivamente uma história encantadora que acertou em cheio na parte de mistério e tensões. Achei que a mudança de pontos de vista foi bem eficaz, pois deixa os leitores no suspense. A equipe incomum de Barthy e Arthur em resolver o mistério dos assassinatos é divertida, e espero ver mais deles no próximo livro.

A escrita de Stefan Bachmann é absolutamente linda, fluida, e a história detalhada e habilmente desenvolvida. É quase inacreditável que ele tinha apenas 16 anos quando escreveu o livro. Ele obviamente tem uma rica imaginação e uma mente criativa. Até mesmo o nome de seus personagens foram criativos e distintos.


Posso dizer que a primeiro coisa que chama a atenção para este livro é a belíssima capa. Confesso que a capa foi o que me fez querer ler esse livro num primeiro momento. E o que dizer da diagramação, revisão e tradução? Tudo perfeito!

No geral, "O Peculiar" é um livro altamente original e cativante, com um enredo tão envolvente e cheio de suspense, fantasia e mistério. Uma leitura que irá agradar a todas as idades. Mal posso esperar pelo próximo livro para saber como a história vai rolar a partir daqui. Recomendo.

1 comentários:

  1. Conhecendo esse livro agora, gostei da resenha.
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...