Blogger Widgets

[Resenha #499] Homens, Mulheres & Filhos – Chad Kultgen @chadkultgen @editorarecord




Homens, Mulheres & Filhos
Chad Kultgen
ISBN: 9788501070692
Ano: 2014

Páginas: 351
Editora: Record
Skoob
Classificação: 4 estrelas
Compre Submarino


Homens, mulheres & filhos é a melhor obra de ficção já escrita sobre a sexualidade de adolescentes e adultos em tempos de Internet. O autor cria uma rede de personagens que levam vidas comuns e aparentemente normais, mas, no fundo, repletas de neuroses, fraquezas, pudores, perversões, inseguranças, ingenuidades, e cujo comportamento é influenciado diretamente pela mídia e pelo mundo virtual.




Olá queridos leitores!

Estou aqui no cantinho de vocês - Lost Girly Girl - mais uma vez para apresentar o livro: Homens, Mulheres & Filhos da editora Record. Aproveito a oportunidade para informar sobre o filme com direção de Jason Reitman e atuação dos atores Adam Sandler, Jennifer Garner, Emma Thompson, Judy Greer e Ansel Elgort. 


Temo em começar – e já começando - a resenha dizendo que a leitura não é tão fácil como imaginamos. Claro que muitas vezes é divertido, mas a forma como o tema é abordado, às vezes, assusta o leitor. Chad nos apresenta um grupo de pessoas, alguns amigos e outros não. O ponto chave da narrativa é a complexidade com que estas variadas pessoas tratam o assunto sexo. 


A trama foi escrita para nos mostrar que nem sempre conhecemos a fundo as pessoas que julgamos conhecer. Além de, trazer a tona um ponto que os americanos evitam a todo custo, por causa de suas políticas sexuais. Também podemos ver que o fator ‘não comunicação’ pode gerar problemas ainda maiores do que possamos suspeitar. 


Contudo, conhecemos pais e filhos que vivem em épocas diferentes – claro né! Ao mesmo tempo podemos ver a semelhança entre os adultos e os garotos de apenas 13 anos. Quando se aborda o tema sexual parece que todos são muito infantis para tratar sobre isso e até mesmo inconsequentes. Posso estar errada, mas foi algo que percebi com a leitura. 


Para reforçar a respeito, temos Patrícia Beltmeyer que criou um grupo para pais intitulado “Pais no Ataque a Internet”.  A função do grupo ou apenas de Patrícia é vigiar a vida dos filhos nas redes sociais, mas ela passa do ponto com sua filha e isso gera algo ainda pior, mas para saber este algo você precisa ler o livro, né... risos!


Temos também uma mãe que cria um site para a filha e podemos dizer que este site é pornográfico, até mesmo pelas fotografias que ela mesma publica da filha. Ela quer levar à filha a fama, mas não se importa com o que acontece fora de sua própria mente. Nem ao menos ver que estar expondo sua garota aos pedófilos de plantão nas redes sociais. Sua fixação pela fama a faz deixar alguns princípios de lado e seguir apenas com sua loucura. 


Não é apenas o quesito sexual que é abordado durante a narrativa, mas também temos a anorexia, pois uma líder de torcida é apaixonada de forma descabida por manter seu corpo sempre expelindo uma quantidade de fluidos maiores do que aquilo que é ingerido.


Temos também Tim, que é viciado em jogos online, onde os diálogos com seus amigos no chat do jogo são extremamente preconceituosos e agressivos, mas percebemos que o escritor quis apenas – talvez – reforçar que as pessoas são muito diferente daquilo que são quando estão em suas redes ou vidas virtuais. Além do mais, Tim é viciado em sexo violento e diferenciado, e isso prejudica seu desenvolvimento sexual de forma – digamos – normal. 


Em contra ponto, com os filhos temos seus pais: são homens e mulheres insatisfeitos com suas vidas conjugais e acabam partindo para o meio virtual, conhecendo assim, parceiros sexuais ou até mesmo partindo para o lado da masturbação diária, pornografias e prostitutas. Homens e mulheres tentam descobrir através da internet, seus desejos mais obscuros e ainda alcançar seu próprio prazer sexual e além de realizarem suas fantasias. 


Através de pesquisas na internet constatei que muitos consideram o escritor Chad Kultgen um abusado justamente pela forma como constrói seus personagens. Além do jeito que trata as mulheres em seus livros.  Também percebemos que mesmo escrevendo sobre garotos de 13 anos, as mulheres já são tratadas como algo ou coisas para serem usadas, mas também notei que neste livro ele usou os homens como objetos de realização dos desejos de certas mulheres. 


Finalizo a resenha com a frase de Carl Sagan, que vem logo no início do livro e, claro, ela tem tudo haver com a trama e com o que o escritor nos quer passar.


"Nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica que nos cerca. Em nossa humilde condição, em toda essa vastidão, não há nenhum indício de que a ajuda virá de outro lugar para nos salvar de nós mesmos."

Resenha feita especialmente para o blog Lost Girly Girl por Fernanda do blog Amor Literário
e Colaboradora do blog Lost Girly Girl

1 comentários:

  1. ótima resenha, estou bem curioso em ler a obra do autor.
    Gostei muito do blog :D

    http://criativare-leitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...