Blogger Widgets

[Resenha #615] Eu Te Darei o Sol – Jandy Nelson @Novo_Conceito @jandynelson




Eu Te Darei o Sol
Jandy Nelson
ISBN-13: 9788581636467
ISBN-10: 8581636462
Ano: 2015
Páginas: 384
Editora: Novo Conceito
Skoob
Classificação: 4 estrelas
Compre: Submarino

Sinopse: Noah e Jude competem pela afeição dos pais, pela atenção do garoto que acabou de se mudar para o bairro e por uma vaga na melhor escola de arte da Califórnia. Mal-entendidos, ciúmes e uma perda trágica os separaram definitivamente. Trilhando caminhos distintos e vivendo no mesmo espaço, ambos lutam contra dilemas que não têm coragem de revelar a ninguém. Contado em perspectivas e tempos diferentes, EU TE DAREI O SOL é o livro mais desconcertante de Jandy Nelson. As pessoas mais próximas de nós são as que mais têm o poder de nos machucar.





    Eu Te Darei o Sol é um livro denso que, narrado em diferentes perspectivas e tempos, conta a história de Noah e Jude, irmãos gêmeos que sempre tiveram uma relação muito forte, uma ligação que apenas gêmeos entendem. Apesar disso, os dois são muito diferentes, como personalidades opostas.





"Sempre sei o que se passa na mente da Jude. Não é tão fácil para ela saber o que se passa na minha mente, porque eu tenho persianas mentais e as fecho sempre que acho necessário. Como ultimamente."


    Nos momentos em que Noah é o narrador, os irmãos têm entre 13 e 14 anos. Já quando Jude assume a narrativa, eles já estão com 16 anos. As narrativas se alternam ao longo do livro, nos fazendo viajar no tempo e descobrir os acontecimentos aos poucos. Nesse período de dois anos entre uma narrativa e outro, Noah e Jude mudaram muito e temos a sensação de que estamos conhecendo quatro personagens diferentes. Porém, aos poucos, o livro vai revelando como essa mudança ocorreu.



"Às vezes, quando se surfa, você pega uma onda e percebe que está “sem chão”, e de repente, sem aviso, você se vê caindo diante da parede de água.
Sinto-me assim."


"Permito-me sentir o horror e me rendo a ele em vez de fugir, em vez de me convencer que tudo pertence a Noah, e não a mim, em vez de colocar todo um índice de temores e superstições entre mim e este horror, em vez de me mumificar em camadas e mais camadas de roupas para me proteger, e caio com a força de dois anos de luto contido, o sofrimento de dez mil oceanos finalmente rompendo diques dentro de mim... Deixo que meu coração se parta.  E Noah está aqui, forte e firme, para me segurar, para me abraçar durante a queda, para ter certeza de que estou segura."






    Esse é o típico livro que fala sobre nada e sobre tudo ao mesmo tempo. Um livro que fala da vida, dos relacionamentos, das famílias e, principalmente, de amor. Além disso, o livro mostra como os ciúmes e a inveja podem destruir os relacionamentos mais importantes.

"E tudo dentro de mim está em silêncio, em paz e certo. Respiramos e nos deixamos levar. Imagino nós dois nadando sob o céu noturno até a Lua brilhante e espero me lembrar dessa imagem pela manhã, para poder desenhá-la  e lhe dar de presente. Antes de dormir, ouço-a dizendo:  - Ainda te amo muito. E digo: - Eu também."                                                                       

    As narrativas de Noah me agradaram mais, ele possui uma visão diferente do mundo e isso foi me conquistando pouco a pouco. Além disso, ele enfrenta um dilema que é gostoso e intrigante de acompanhar.


    Noah e Jude são como meios para conhecermos uma realidade bem maior, com discussões a respeito de tudo. Dilemas pessoais e existenciais são postos como plano de fundo no livro. A arte também está muito presente e a filosofia da arte permeia todas as ações e pensamentos dos protagonistas. Noah e Jude, apesar da idade, possuem uma narrativa muito madura e isso me deixou um pouco incomodada em certos momentos. A relação dos irmãos com os pais e a relação dos pais entre si é muito interessante. A forma poética como os gêmeos descrevem as situações também é muito rica. É um livro longo, repleto de reflexões, superstições e filosofias. A história é simples e, ao mesmo tempo, complexa.


    A diagramação está perfeita e o livro é muito bonito. Minha dica é: se for ler, leia com calma, saboreando cada detalha. O livro não me prendeu completamente e eu precisei me forçar a ler. Os capítulos são extremamente longos e isso tornou a leitura ainda mais difícil. No entanto, se você quer um livro para refletir, esse é o livro ideal.



6 comentários:

  1. Primeira resenha que leio desse livro e eu fiquei bastante intrigada...
    Única coisa negativa são os capítulos longos. Eu sempre me perco e tenho de ficar voltando...
    Adorei as fotos do livro com os bonequinhos. Super fofo
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, eu não gosto quando os capítulos são longos. Também me perco.
      E, nesse livro, os capítulos são muito longos. Foi difícil. kk'
      Mesmo assim, é um livro bom.

      Excluir
  2. Oi Priscila!

    Menina do céu, esse livro é um querido viu. A única coisa que me irritou também foi o tamanho dos capítulos. Sou daquelas que não para de ler até o capítulo ter acabado, então já viu. Também gostei mais do Noah, ele é muito fofo! Mas fiquei torcendo pelos dois o tempo inteiro, principalmente para tudo voltar ao normal!

    Beijo!
    http://www.roendolivros.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também sou assim. Tenho que ler até o capítulo acabar. Não gosto de parar na metade de um capítulo. kkk
      Ah, Noah é fofo mesmo.
      Beijos!!

      Excluir
  3. achei a história inteira singela, delicada, tratando de diversos temas atuais com extrema delicadeza, falando de sentimentos que são tão reais que parece que a história ganha mais vida!
    felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, a história é muito singela mesmo.
      Beijos!!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...