Blogger Widgets

[Resenha de Filme] Uma Longa Jornada - The Longest Ride


Uma Longa Jornada
Diretor: George Tillman Jr.
Gênero: Romance; Drama
Ano: 2015
Duração: 139 minutos
Classificação: 5 estrelas

Sinopse: Aos 91 anos, com a saúde debilitada e sozinho no mundo, Ira Levinson (Alan Alda) sofre um acidente de carro e se vê abandonado em um lugar isolado. Ele luta para manter a consciência e passa a ver sua amada esposa Ruth (Oona Chaplin), que faleceu há nove anos. A poucos quilômetros de distância, a bela Sophia Danko (Britt Robertson) conhece o jovem cowboy Luke (Scott Eastwood), que a apresenta a um mundo de aventuras e riscos. De forma inesperada, os dois casais vão ter suas vidas cruzadas.



    Como falar em romance e não pensar em Nicholas Sparks, não é mesmo? Por isso, hoje, venho falar da adaptação cinematográfica de Uma Longa Jornada. O filme conta a história de Sophia, uma jovem estudiosa e sonhadora, e Luke, um típico cowboy que se arrisca montando touros. Os dois pertencem a mundos diferentes e, mesmo assim, acabam se apaixonando. 


    No filme, também somos apresentados a Ira Levinson, um senhor que possui uma linda história para contar. Dessa forma, acompanhamos duas belíssimas histórias de amor e de superação das diferenças. Ira, despropositadamente, ensina grandes lições para o jovem casal. 





    O relacionamento entre Luke e Sophia é muito verdadeiro, repleto de dificuldades e empecilhos que, juntos, eles precisam superar para ficarem juntos. O filme e as lições que ele passa são muito bonitos. O relacionamento de Luke com sua mãe também é um ponto interessante no filme, apesar de não ter sido abordado com mais atenção.



    O filme mostra que as dificuldades estão presentes em todos os relacionamentos. A história de Ira com sua esposa, Ruth, é belíssima e rica em discussões artísticas e morais. Um filme para se emocionar, com certeza. Além de um final surpreendente e tocante.




    Se você procura um filme para se distrair e talvez se emocionar, essa é uma ótima escolha. O roteiro não está nem perto de ser algo magnífico, mas, mesmo assim, vale a pena dedicar duas horinhas do seu dia para apreciar um bom romance.

1 comentários:

  1. Gosto muito do filme, e o quanto a Sophia amadurece, por conhecer e compartilhar das historias do Ira Levinson, vendo que em todos os relacionamentos há de haver dificuldades, mas que tudo pode ser superado, com boa vontade amor e cumplicidade.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...