Blogger Widgets

[Resenha #631] A Aposta - Rachel Van Dyken @Suma_BR @RachVD


A Aposta
Aposta # 1
Rachel Van Dyken
ISBN-13: 9788581052205
ISBN-10: 8581052207
Ano: 2014
Páginas: 288
Idioma: português
Editora: Suma de Letras
Skoob
Classificação: 3 estrelas
Compre: Submarino


Kacey deveria ter fugido assim que ouviu essas palavras do milionário Jake Titus. O amigo de infância que Kacey não via há anos é hoje um dos homens mais poderosos e cobiçados de Seattle. E ele precisa de um favor dela: que ela finja ser sua noiva em uma viagem para visitar a avó Nadine, que está muito doente. Kacey aceita sem hesitar, afinal, o que poderia acontecer em apenas quatro dias? Mas o que ela não esperava era reencontrar Travis, o irmão mais velho de Jake, Quando mais novo, ele adorava perturbar Kacey: já incendiou uma boneca, colocou uma cobra em seu saco de dormir. Por isso, recebeu dela o apelido de “Satã”. Mas depois de tantos anos, Kacey se vê diante de um homem lindo, por quem se apaixona no momento em que vê o seu sorriso. O que ela não sabe, no entanto, é que os dois irmãos haviam feito uma aposta quando eram meninos: quem se casasse com Kacey receberia um milhão de dólares. Em “A Aposta”, da autora best-seller do New York Times Rachel Van Dyken, Kacey terá que descobrir qual dos irmãos é o cara certo e fazer sua escolha. Essa é a única certeza que lhe resta.



Para início de conversa, a sinopse conta boa parte do que envolve o enredo da história. Quando pequenos, Travis e Jake fizeram uma aposta que envolvia Kacey, casamento e 1 milhão de dólares. Kacey e a família Titus sempre foram muito próximos, até que ocorreram alguns eventos que os afastaram.
Em relação às personagens vamos começar com a Kacey: eu gostaria que ela se auto valorizasse mais; ela é bastante insegura em relação a si mesma. A impressão que eu tive no início do livro era de que isso transpareceria até o final, mas depois que eu percebi que o maior problema da Kacey se resumia a Jake e o que ele a fizera passar, eu consegui enxergá-las com olhos menos “julgadores”. Ela se mostrou uma pessoa forte e de personalidade em diversas situações.


 
"Às vezes, quando a vida fica difícil e as pessoas te deixam com raiva ou mesmo quando você está com medo, a melhor resposta é rir. Rir na cara do medo, na cara do que te assusta mais. É o único jeito de você superar as coisas que te fazem chorar."

Por falar em Jake, eu senti raiva dele 90% do tempo – os outros 10% foram pena – e explico porquê: ele é egoísta, manipulador, covarde e não pensa duas vezes antes de usar as pessoas e descartá-las, dentre outros adjetivos até piores. É também o herdeiro da empresa da família, o que o deixa numa posição delicada quanto ao estilo de vida que ele leva.



Já Travis é oposto do irmão mais novo. Durante a infância e adolescência, ele e Kacey viviam em guerra constante por toda e qualquer coisa – por isso foi apelidado de Pestinha –, sempre arrumando uma forma de afetar um ao outro de alguma maneira. No entanto, já maduro, Travis se tornou o homem que Jake nunca seria e Kacey percebeu isso.



Quando Kacey recebe a inusitada proposta de Jake para acompanhá-lo de volta para casa e fingir estar noiva dele para passar “uma boa imagem” para a imprensa, e visitar a vovó Nadine, que aparentemente não estava bem de saúde, isso parecia uma tapa na cara dada pelo destino; já que depois de tudo o que o seu antigo melhor amigo fez a ela, era difícil achar que aquilo não iria além do próprio benefício de Jake.


"[...] Os lugares por onde você passou te ajudam a crescer."

No entanto, mesmo contrariada pelos próprios sentimentos, ela aceitou voltar a ver as pessoas que ela considerava como sua segunda família e ajudar o Jake. O que ela não esperava era encontrar o arqui-inimigo Travis ainda mais bonito que o irmão, além de totalmente diferente do mesmo, não só na aparência física.


A história se passa nos dias que ela ficou na casa dos Titus e se desenvolve com o início do romance de Kacey e Travis. O livro é pequeno, o que eu achei adequado, e a narrativa segue uma cronologia linear, apenas algumas vezes que somos remetidos ao que aconteceu na vida de Kacey no passado. Nós descobrimos que Travis sempre nutriu uma paixão por Kacey, no entanto, sabemos que o contrário não acontecia, e dentre todas as implicâncias e revelações os dois passam a ficar extremamente próximos e Kacey começa a deixar o sentimento pelo Travis aflorar. Esse, pra mim, foi um dos pontos negativos: de fato eles já se conheciam muito bem e passaram boa parte da vida juntos, mas Kacey se entregou muito rapidamente ao Travis – o novo Travis. Talvez se as coisas tivessem acontecido um pouco mais lentamente entre os dois, o romance teria ficado mais forte.

Não posso deixar de comentar de algumas das personagens secundárias. Vovó Nadine foi, sem dúvida, minha personagem favorita do livro. Ela é espirituosa, engraçada, apaixonada e manipuladora também, mas num bom sentido, totalmente diferente do Jake. Sem falar que foi através da manipulação dessa senhorinha tão especial, que Kacey e Jake puderam ter a chance de ser felizes. Eu gostaria que Char, a amiga de Kacey, tivesse mais destaque na história; pois mesmo no pouco tempo que ela apareceu, tornou-se especial.


Esse é o tipo romance Young Adult: uma boa dose de clichê e previsibilidade. Não é segredo que tenho um certo fetiche literário por YA, mas por mais clichê que seja A Aposta, a leitura foi agradável. A editora está de parabéns, não encontrei erros de revisão e fonte está de tamanho bem confortável para a leitura. Dou três estrelas ao livro da Rachel porque acredito que mais coisa poderia ter sido explorada, inclusive personalidades.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...