Blogger Widgets

[Resenha #782] Amor e Memória – Ayelet Waldman @EditoraLeya @EdCasaDaPalavra @ayeletw


Amor e Memória
Ayelet Waldman
ISBN-13: 9788577344963
ISBN-10: 8577344967
Ano: 2014
Páginas: 400
Editora: Casa da Palavra
Classificação: 4 estrelas
Skoob
Compre: Submarino


Sinopse: Um deslumbrante medalhão e três homens: um capitão de infantaria americano, um israelense negociador de obras de arte roubadas pelos nazistas; um psiquiatra pioneiro de Budapeste do fim do século XIX. Suas vidas pacatas são viradas de cabeça para baixo por três mulheres fortes e independentes. “Esse brilhante romance é cheio de reviravoltas e personagens cativantes.” Isabel Allende “Waldman sustenta suas tramas múltiplas com confiança e riqueza de detalhes, criando personalidades complexas que se envolvem em uma série de acontecimentos bem urdidos.” The New York Times Em 1945, na Áustria, os vitoriosos soldados americanos capturam um trem repleto de riquezas indescritíveis – objetos que haviam sido confiscados dos judeus pelos nazistas. Entre os tesouros estão pilhas de relógios de ouro; montanhas de casacos de pele; caixas cheias de alianças de casamento; porta-retratos de prata; castiçais de Shabat e heranças de família repassadas por gerações. Jack, um inteligente nova-iorquino judeu, é o oficial encarregado de guardar o trem, uma responsabilidade que fica ainda mais complicada quando conhece Ilona, uma bela húngara que perdeu tudo em meio às devastações do Holocausto. Setenta anos depois, Natalie recebe de Jack, seu avô, um lindo colar com o desenho de um pavão com penas de pedras preciosas, que fora achado no trem. Dentro do medalhão, está a fotografia de uma mulher desconhecida. Encarregada de devolver a joia à mulher da foto, Natalie deve mergulhar num submundo sombrio de negociantes de arte para descobrir a história por trás do medalhão. Mas se surpreende ao aprender sobre a vida fascinante de uma mulher feminista que lutou pelo direito de voto no final do século XIX em Budapeste. Uma história de personagens brilhantes, Amor e memória é o melhor romance de Ayelet Waldman: uma obra ricamente detalhada que levanta questões difíceis sobre o valor das coisas preciosas em um momento em que a própria vida parece sem valor, e sobre as correntes invisíveis que nos prendem aos sofrimentos e às paixões do passado.



    Amor e Memória é um livro que possui uma bela história para contar, com uma trama muito bem elaborada, personagens ricos e envolventes e um cunho histórico muito forte. O livro conta várias histórias, de várias pessoas em diferentes tempos. Todas essas pessoas possuem algo em comum: um colar com um pingente em formato de pavão.


“Quando a guerra terminou, era como se alguém tivesse sacudido a colcha de retalhos em que a Europa se transformara, fazendo as pessoas caírem de paraquedas nos mais diversos confins do continente.” p. 49



    O livro é dividido em três partes e cada parte se situa em um período da história. A primeira parte se passa em Salzburg, no período de 1945 a 1946. Já a parte dois se passa no ano de 2013. Por fim, a parte três se passa em Budapeste, no ano de 1913. Cada parte nos presenteia com uma história rica, singela e tocante.


“E ainda assim, apesar de tudo, embora nunca tivesse usado os adjetivos “bom” e “justo” para descrever a si mesmo, percebeu naquele momento que “bom” e “justo” era o que sempre quisera ser.” p. 85



    Na parte um, os soldados norte-americanos encontram, em um trem, incontáveis objetos de grande valor, entre eles, o pingente de pavão. Esses objetos foram tirados dos judeus pelos nazistas. Jack Wiseman, oficial judeu, fica responsável por descarregar o trem. Não bastasse isso, Jack conhece Ilona, uma sobrevivente dos campos de concentração, e acaba se envolvendo com ela. O caminho percorrido por Jack e o desenvolvimento do personagem são os pontos fortes da primeira parte.


“Era um soldado, mas também era judeu. E ali, naquele momento, naquele lugar, junto àquele rapaz incrivelmente corajoso e aos seus meninos também extremamente corajosos, Jack entendeu o que vinha em primeiro lugar.” p. 143

Na parte dois, acompanhamos Natalie, a neta de Jack. O avô designa uma tarefa muito delicada para a neta: encontrar o dono do pingente. Natalie está passando por momentos difíceis e precisa lidar com o divorcio, a morte do avô e a difícil missão que lhe foi dada. No entanto, essa tarefa pode fazer com que a jovem encontre novos caminhos para sua vida, especialmente depois que os destinos dela e de Amitai, um negociador de obras de arte roubadas, se cruzam.

“O colar – e seu pingente incomum, com uma pintura esmaltada de pavão, apresentando nas pontas das penas pedras intercaladas de ametista e peridoto – pusera os dois em contato...” p. 169





Por fim, na parte três, finalmente conhecemos Nina, a dona do pingente de pavão. Porém, vocês terão que ler para saber mais sobre essa personagem fantástica, forte, envolvente e feminista. A terceira parte é belíssima e a personagem faz com que a leitura seja mágica e emocionante. Podemos perceber que Waldman fez minuciosas pesquisas para poder escrever o livro com maestria e riqueza de detalhes históricos. O teor histórico do livro é forte e se faz presente em toda a narrativa.


“A terceira evidencia de minha suposta insanidade é que me recuso a apertar meus espartilhos com tanta a força a ponto de meus olhos saltarem pela cabeça, como fazem as outras moças da minha idade.” p. 286



Para tornar tudo ainda melhor, a capa do livro é linda, as cores são harmoniosas e a imagem se relaciona completamente com a história contada nas paginas. Se você procura uma leitura leve e descontraída, esse não é um livro que você deve ler agora. A dica que dou é: leia Amor e Memória quando você estiver em busca de uma história mais densa, com embasamento histórico, para ler aos poucos, usufruindo de cada paragrafo. Infelizmente, a parte dois deixou um pouco a desejar. Como eu disse, essa é uma história densa, então, em alguns momentos, a leitura se tornou um tanto cansativa. Porém, a parte três compensou e fez a leitura valer a pena.

5 comentários:

  1. Minha nossa! Menina você é forte pois juro que deu vontade de desistir só pela tua resenha. Não que a resenha seja ruim, muito pelo ao contrário, a resenha está estupenda, mas pelo teor forte e todo o contexto. Infizmente no momento não tenho cabeça para uma história assim! Quem sabe quando meu aposentar einh?...rsrsrsrs...beijos!

    ResponderExcluir
  2. Não tenho muito interesse por livros desse genero, mas quem sabe tento um dia? Gostei da resenha e da abordagem

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Parece ser uma historia bem elaborada mesmo mas eu acho que eu não conseguiria ler.
    Essa capa é muuuuito linda *-*

    ResponderExcluir
  4. Nossa, parece um livro do tipo que eu gosto! ótima resenha!

    ResponderExcluir
  5. Oi Priscila!

    Se fosse para eu ler essa história só pelo título, com certeza a passaria para frente. A capa é maravilhosa, mas achei o título esquisito. Enfim, acho que fiquei curiosa só com a primeira parte do livro... Mas não sei o porquê, tenho a impressão de que a narrativa do livro é bem lenta...

    Beijo!
    http://www.roendolivros.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...