Blogger Widgets

[Resenha #900] A maldição - Stephen King @Suma_BR


A maldição
Publicado anteriormente como A Maldição do Cigano.
Stephen King
ISBN-13: 9788581050492
ISBN-10: 8581050492
Ano: 2012
Páginas: 287
Idioma: português
Editora: Suma de Letras
Skoob
Classificação: 5 estrelas
Compre: Livraria Cultura

 
Numa narrativa vertiginosa, em que cada segundo perdido afasta mais de Bill a possibilidade de sobreviver, A Maldição combina suspense e terror com a habilidade inconfundível de Stephen King.
Advogado bem-sucedido, feliz ao lado da esposa Heidi e da filha adolescente, Bill Halleck desfrutava os prazeres de uma vida sem grandes preocupações. Até o dia em que uma velha cigana se pôs em seu caminho. Ele não conseguiu pisar no freio a tempo. Não conseguiu deter o carro nem as artimanhas do destino e, ao mesmo tempo em que as rodas esmagavam a senhora, sua vida começava a ser destruída.
Não, não foi a implacável justiça americana que pôs fim a seus dias felizes. Na verdade, o júri foi muito compreensivo com o bom amigo, e ele não precisou pagar com sua liberdade pela vida da cigana. Mas, na saída do tribunal, assustou-se com o rosto carcomido de um velho, seus olhos profundos, e ouviu de seus lábios gretados uma única frase: mais magro.
A partir deste dia, mergulha num pesadelo. Seus 111 quilos começam a diminuir vertiginosamente. De acordo com os médicos, não há nada em seu organismo que possa justificar a súbita perda. Bill Halleck está desaparecendo e, se não conseguir deter o processo, em pouco tempo não será mais do que um feixe de ossos.
Começa assim uma busca implacável em que Halleck reúne o pouco que lhe resta de forças e sai à caça de Taduz Lemke. Ele sabe que somente o velho será capaz de mudar seu destino - encontrá-lo é questão de vida ou morte.
Abandonado pela esposa e amigos que duvidam de sua sanidade, conta apenas com suas poucas forças e com a ajuda de Richard Ginelle, um gângster perigoso, mas amigo fiel, que se dispõe a tudo para salvá-lo: 111, 98, 71 - Bill tem pouco tempo. Os ponteiros da balança não o deixam se esquecer disso.





"Quando garoto, em Nova York, ele ouviu dizer que ciganos tinham o dom da profecia. Talvez ali estivesse a prova. Billy tentou rir, mas conseguiu apenas esboçar um sorriso; ainda era muito cedo para rir dos ciganos."

Neste livro, Stephen King usa o medo coletivo que as pessoas nutrem pelos ciganos em sua narrativa. O livro tem início narrando Billy Halleck, um advogado muito acima do peso, saindo de seu julgamento por ter atropelado uma velha cigana em sua cidade. Por causa de sua carreira bem sucedida e dos seus contatos com pessoas influentes da cidade, incluindo o juiz do caso, Billy acaba sendo inocentado do crime que cometeu. Porém, ao sair do seu julgamento, Billy e sua mulher são abordados por um velho cigano com o nariz deformado que simplesmente ao dizer a frase “mais magro” e tocar Billy, acaba por mudar a vida de várias pessoas drasticamente.


"Mais magro", sussurra o velho cigano de nariz carcomido para William Halleck quando ele e sua esposa Heidi saem do tribunal. Apenas estas duas únicas palavras, carregadas pela doçura enjoativa do hálito dele. "Mais magro". E antes que Halleck possa recuar, o velho cigano estica o braço e acaricia-lhe a face com um dedo retorcido. Os lábios dele entreabrem-se como uma ferida, exibindo alguns cacos de dentes que despontam das gengivas como lápides quebradas. Cacos de dentes enegrecidos e esverdeados. A língua do velho se esgueira por entre eles e então desponta, para lamber os amargos lábios sorridentes. "Mais magro "


"Certos caras, muitos caras, não acreditam no que estão vendo, principalmente se isso for contra a maneira que querem comer, beber, pensar ou acreditar. Eu não acredito em Deus, mas se o visse acreditaria. Não andaria por aí dizendo: “Bem, isso foi um grande efeito especial”. A definição de um imbecil é um cara que não acredita no que vê."




Alguns dias após essa abordagem inquietante, Billy, que tinha na faixa de 100kg, começa misteriosamente a emagrecer, apesar de ainda manter seus hábitos sedentários e comer como sempre comeu. No início, ele e sua família ficam felizes com esse misterioso emagrecimento, porém logo isso se torna uma preocupação e até mesmo uma suspeita de alguma grave doença. Com isso, Billy acaba percebendo que muito provavelmente ele foi amaldiçoado pelo cigano naquele dia saindo do tribunal, tomando a decisão de encontrar esse cigano aonde quer que ele esteja e forçá-lo a retirar a maldição posta sobre ele.


“Naquele momento, ele simplesmente acreditou... em tudo. O cigano o tinha amaldiçoado, claro, porém não com câncer; um câncer seria gentil e rápido demais. Era algo mais, cujo desdobramento apenas começara.” 


“Rossington está criando escamas, Hopley está apodrecendo e eu estou desaparecendo, pensou. Oh, Deus, que isso seja um sonho, mesmo que me deixei louco... mas não permita que esta coisa esteja acontecendo."


"A infelicidade anseia por companhia, e acho que todos temos em nossa natureza um traço de pura mesquinharia tão estreitamente ligado ao nosso lado bom que jamais nos libertaremos dela."



O livro pode ser considerado um ótimo suspense. Bem arquitetado, o livro acaba por discutir questões como vingança e justiça ao longo de sua narrativa, e seu final é um verdadeiro tapa na cara do leitor (o que nesse caso é ótimo).

A escrita de Stephen King é fantástica, como sempre, e faz com que o leitor sinta as aflições e temores do personagem. Billy Halleck sofre não só mudanças físicas na história, mas também mudanças de comportamento e personalidade, o que torna a narrativa ainda mais rica e interessante. A diagramação do livro é excepcional, com fontes de ótimo tamanho. Esse é mais um livro clássico do estilo de Stephen King, como de costume, ótimo.


2 comentários:

  1. King maravilhoso como sempre!!! Quero muito ler esse :D

    ResponderExcluir
  2. I am in love with the dress too, I really like those and your outfit looks great!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...