Blogger Widgets

[Resenha #908] Postais do Coração - Ella Griffin @Novo_Conceito


Postais do Coração
Ella Griffin
ISBN-13: 9788581630496
ISBN-10: 8581630499
Ano: 2012
Páginas: 448
Idioma: português
Editora: Novo Conceito
Classificação: 3 estrelas
Skoob
Compre: Submarino


Saffy tem um trabalho incrível em uma agência de propaganda em Dublin. Ela tem sua difícil mãe a uma distância segura. E ela acredita que seu namorado ator Greg — o próximo Colin Farrell — finalmente irá pedi-la em casamento.
Conor admira a linda Jess. Mas depois de sete anos e gêmeos, ela ainda não se casará com ele. Ele passa os dias ensinando adolescentes terríveis e as noites escrevendo o livro que espera que mude tudo — inclusive a mente dela.
Mas está difícil de alcançar finais felizes...



Antes de tudo, apesar do nome lembrar muito o da Emily Giffin esse livro é escrito por uma autora totalmente diferente. Uma leitura que tinha TUDO pra conquistar, mas que infelizmente me decepcionou em muitos pontos. Um livro que pecou muito pelos excessos e por certas coisas colocadas durante a história como se não se conectassem a história. Comecei a história bem empolgada, mas conforme a leitura foi avançando a história começou a me dar MUITA preguiça. Não é a escrita da autora, que até é fácil de ler mas sim o desenvolvimento e o objetivo geral da história que me deixaram bem confusa. Em muitos momentos, eu me vi perdida tentando entender o que estava acontecendo ou o que a autora queria dizer. 





Basicamente, o livro é dividido entre quatro personagens, dois casais. Um dos casais é Conor e Jess que estão juntos há algum tempo, tem filhos gêmeos mas não se casaram. As coisas ficam um pouco tensas quando Conor foca sua atenção para um livro que está escrevendo e Jess acredita que ele está deixando a família de lado. O outro casal é Saffy e Greg, Saffy trabalha em uma das melhores agência de publicidade da Irlanda, é bem sucedida e namora Greg um ator muito badalado. No começo, achei que Saffy e Greg salvaria a história e me cativariam durante a leitura mas não foi isso que aconteceu. Saffy até que é uma personagem aceitável, mas Greg pra mim é bem chatinho. Fiquei com preguiça durante os momentos que descreviam suas cenas de ator.

 

"- Meu Deus! O que foi isso? - Conor parou, subitamente. - O quê? - Os olhos de Jess se arregalaram. - Shhhh! De novo! - Ele pôs a mão no peito - O barulho do meu coração se despedaçando." 



Muitas outras situações surgem dentro do livro, mas esses dois casais que se conhecem são a base para a história em geral. A história poderia ter cativado muito mais do que foi apresentado, e por um momento pensei que seria boa. 


Infelizmente, o desfecho foi presunçoso, chato e nem um pouco convincente. É como aquelas histórias que nos deixam imaginando que poderia ter sido melhor lapidada, mas que faltou algo no meio do desenvolvimento. O fato de ser um livro grosso com mais de 400 páginas, a história tem que cativar, tem que ter algo que motive o leitor a continuar por ali porém muitas vezes pensei em largar o livro. Não abandonei a leitura porque não gosto de deixar livros pela metade, mas muitas vezes me peguei pensando nisso sem contar que demorei mais do que o esperado pra ler esse livro, coisa que não acontece com outros livros.  Uma escrita densa que deu a sensação de ter mais de 400 páginas e que não acabava nunca.  A falta de cuidado com os detalhes e a atenção ao desenvolvimento prejudicaram muito as coisas que ficaram no ar e superficiais. Uma história de romance que tinha tudo pra cativar  e ser linda mas acabou sem encanto algum.


"Talvez Greg não se lembrasse mais de como sua vida era vazia antes de conhecer Saffy. Talvez tivesse se esquecido de como ela fora boa para ele. E talvez pensasse que conseguir um papel em um filme fosse o melhor que poderia acontecer com ele.
Mas estava errado. O melhor já acontecera. E era Saffy."


 "– Faz anos que espero que você me peça em casamento Greg, anos e anos. E me desculpe, mas não posso continuar assim, fingindo que isso não tem importância – Era verdade agora ela percebia. E sentiu um alivio ao dizer: – Relacionamentos são como tubarões: precisam continuar em movimento senão morrem.
Greg sorriu nervosamente e tentou segurar sua mão.
– Quem disse? Talvez sejam como os bichos preguiças. Eles praticamente não se movem e podem viver até quase quarenta anos. Eu vi em um documentário no Discovery."



O livro é bom, teria um potencial bem maior se tivesse sido mais trabalhado no desenvolvimento e não prezado outras coisas irrelevantes que pareciam estar ali só pra ocupar espaço. Outras situações que precisariam de mais detalhes foram deixadas de lado o que fez com que a história ficasse no termo mediano pra mim. Não tenho nada a reclamar sobre a jeito de escrever da autora, que como eu já disse é fácil e até flui bem. O problema todo foi o excesso de coisas que deixaram as coisas ao redor dos personagens totalmente confusa e bem mornas. Em um certo ponto eu estava lendo e pensava "Ai que preguiça, cadê a parte cativante?" e acredite eu estava apostando alto nesse livro.

Postais do coração entrelaçam a vida de dois casais de uma forma grande em que eles mudam completamente. É um romance com clichês,  com pequenos detalhes que são agradáveis mas que foram desenvolvidos de um modo totalmente errado infelizmente. Se você curte romances não tão melosos esse livro pode ser uma boa pedida.


1 comentários:

  1. Jurava que ela e a Emily Giffin tinham algum parentesco!hahaha... Parece uma boa história, mas como você mesmo falou na resenha as vezes o desenvolvimento compromete a leitura!


    Bjs

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...