Blogger Widgets

[Resenha #987] Kaschtanka e Outras Histórias de Tchékhov - Anton Tchekhov @cialetras


Kaschtanka e Outras Histórias de Tchékhov
Anton Tchekhov
ISBN-13: 9788565771122
ISBN-10: 8565771121
Ano: 2015
Páginas: 96
Idioma: português
Editora: Boa Companhia
Skoob
Classificação: 5 estrelas
Compre: Submarino


Esta obra aborda a história de uma cadela ruiva chamada Kaschtanka, ou castanha , que se perde de seu dono e erra por calçadas desconhecidas, vem acompanhada de mais seis textos de Tchékhov um convite para que o leitor se aproxime do universo ficcional de um dos maiores escritores russos de todos os tempos.



Resenha:

 
"Kaschtanka e Outras Histórias" é uma coletânea de sete pequenos contos de Tchékhov, um dos mais aclamados escritores russos e um mestre em descrever emoções com rara beleza e sensibilidade em cenas da vida cotidiana.


Kaschtanka é o principal conto desse livro, e conta sobre uma cadela ruiva chamada Kaschtanka que se perde de seu dono. Resgatada por um estranho, Kaschtanka é levada para uma nova casa, que ela divide com um ganso, um gato branco, um porco, sendo todos artistas em um circo. Kaschtanka também começa a aprender truques e jogos, mas ela sente saudades de sua primeira casa, com a família de um marceneiro. Quando o marceneiro e seu filho vão no circo na noite de estreia de Kaschtanka, a cadela deve escolher seu destino.


"Uma jovem cadela ruiva - mistura de bassê e vira-lata - muito parecida de cara com uma raposa, corria de um lado a outro sobre a calçada e espiava inquieta para os lados. Parava de raro em raro e, chorando, erguendo ora uma, ora outra pata enregelada, esforçava-se  por compreender: como pudera perder-se?"




A história é simples e como outros dos melhores trabalhos de Tchékhov, ele tem o ritmo e a escala emocional da vida real: não há grandes vilões, sem grandes heróis, todo mundo tentando fazer o seu melhor. Mas, aí nos perguntamos qual seria a mensagem que o autor queria passar com essa história de uma cadela que vivia em um ambiente precário, com um dono bêbado e a possibilidade sempre presente que ela poderia ser negligenciada ou surrada por seu dono. E quando ela se encontra no circo, ela tem uma vida boa, e no entanto ela rejeita isso. Acredito que o dono camponês representa os valores familiares e também o estilo de vida ignorante, enquanto o artista de circo representa o materialismo, artificialidade e o estilo de uma vida civilizada e com novas idealizações. Quando Kaschtanka volta para casa, velhos hábitos prevalecem sobre os valores mais progressistas.



Tchékhov é um profundo observador da alma humana, e através de uma simples cadela ele transpõe toda uma gama de emoções: tristeza, alegria, saudades, etc. Podemos notar grande sensibilidade que também está presente nos outros seis contos desse livro. Sobre a capa, achei uma graça, muita mesmo, e a diagramação simples e com boa revisão.


Este livro é uma ótima chance para que o leitor se aproxime do universo ficcional de um dos maiores escritores russos de todos os tempos. O estilo do escritor é envolvente com textos cativantes e carregados de emoções.


1 comentários:

  1. Oi, Michele, tudo bem?
    Eu só tive um contato com esse autor, mas gostei demais! Não costumo ler livros de contos porque sempre me deixam meio frustrada (sempre quero mais detalhes e estou acostumada com histórias longas), mas os dele eu adorei. Li poucos livros de contos, mas "A dama do cachorrinho" com certeza foi um dos bons. ^^
    Este não conhecia, mas já coloquei na minha lista pra futuras compras (o título é ótimo - eu amo cachorros!).

    Beijos,
    Jana.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...