Blogger Widgets

[Resenha #1084] O Fim de Todos Nós - Megan Crewe


O Fim de Todos Nós – Série Fallen Word – Livro 01
Megan Crewe
ISBN-10: 8580573300
ISBN-13: 978-8580573305
Páginas: 272
Ano: 2013
Editora: Intrínseca
Idioma: Português
Classificação: 2 estrelas
Skoob

Sinopse:
A ilha onde mora Kaelyn, uma garota de 16 anos, foi sitiada e ninguém pode entrar nem sair: um vírus letal e não identificado se espalha entre os habitantes. Jovens, velhos, crianças — ninguém está a salvo, e a lista de óbitos não para de aumentar. Entre os sintomas da doença misteriosa está a perda das inibições sociais. Os infectados agem sem pudor, falam o que vem à mente e não hesitam em contaminar outras pessoas. A quarentena imposta pelo governo dificulta as pesquisas que trariam a cura, suprimentos e remédios não chegam em quantidade suficiente e quem ainda não foi infectado precisa lutar por água, energia e alimento.
Nem todos, porém, assistem impassíveis ao colapso da ilha. Kaelyn é uma dessas pessoas. Enquanto o vírus leva seus amigos e familiares, ela insiste em acreditar que haverá uma salvação. Afinal, o que será dela e de todos se não houver?



Resenha:

Sinceramente esperei demais da narrativa e acabei me decepcionando. Não culpo a autora Megan Crewe pela história monótona, mas honestamente eu esperada mais. Vou colocar a culpa na sinopse, que ultimamente está se tornando um problema em alguns livros. Ou a sinopse é uma amontoado de frases soltas ou entrega completamente a história. 



O fim de todos nós é o primeiro livro de uma trilogia e na história vamos conhecer Kaelyn, uma adolescente de 16 anos que mora numa ilha que está de quarentena durante um inexplicável surto de vírus. Durante o tempo que ela contempla todas as pessoas por qual se importa e ama ficar doente e morrer, ela necessita descobrir uma maneira de evitar que todos sucumbam na sua frente. Seu único amigo? Um diário no qual ela escreve minuciosamente as dificuldades que ela está vivenciando. A falta de emoção pelas mortes me incomodou profundamente, parecia tão normal e aceitável...




Se fosse uma narrativa de zumbi, confesso que teria usufruído muito mais, infelizmente as mortes se dão de maneira simples, aonde as pessoas adoecem, deliram e morrem. Parece aquele ciclo da vida que aprendemos na escola: nasce, cresce, reproduz, envelhece e morre... Tão cansativo e monótono quanto.

Quanto ao final achei que já era o esperado, mas fico preocupada como o que ainda está por vir. Afinal quaisquer palavras escritas além dessa narrativa são desnecessárias. Realmente virou modinha o autor se estender por trilogias ou séries enormes, quando podia escrever toda a história em menos de 200 páginas.

Os personagens não foram bem construídos, além de surgir àquela grande indagação: qual o motivo de somente alguns adoecerem, já que era um vírus e o próprio pai de Kaelyn que é um médico, estava trabalhando arduamente em condições de extrema exposição à doença, sem contanto soltar um espirro... Seria ele o Deadpool ou algum personagem com superpoderes que nunca adoece que a autora tentou inserir no livro? Achei tão estranho e o seu desfecho tão inusitado que até o momento acredito que foi uma “pegadinha do malandro”.



Quanto a protagonista Kaelyn, até figurava que seria a grande salvadora, mas ao perceber que suas tentativas de manter vivo a quem amava eram infrutíferas, ela simplesmente deixou tudo pra lá, tornando seu diário uma tábua de salvação, escrevendo pormenores de sua situação... Como assim produção?

Faltou mais de tudo para a narrativa ser aceitável. O ponto positivo disso tudo? Saber quem seria o próximo a ficar doente e morrer. Doentio? Talvez! Mas realmente foi o único prazer que encontrei na leitura.


2 comentários:

  1. Poxa! um livro lindo mas que deixa a desejar né? Como as personagens podem se comportar tão naturalmente quanto a uma situação tão devastadora.. ah, amei as fotos. Ficaram tão lindas. :)

    Dá uma passadinha no meu blog pra você conhecer..
    http://leituradeaaz.blogspot.com/

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Nossa! A sinopse me arrematou, tanto que já queria saber como com uma sinopse dessas você pode dar apenas 2 estrelas. Hahah Mas é sinopse ne?! Já fui tão enganada por sinopses que hoje em dia nem as leio mais quando vou comprar um livro (eu compro pela capa '-'). Eu concordo TOTALMENTE com você. A sinopse tem estragado muito a redação com os livros e são bem como você falou, frases soltas ou informações demais. Uma pena! Esse livro tinha tudo para ser bom, mas...
    A edição é linda.

    Beijos,
    Mia

    miaestanteliteraria.wordpress.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...