Blogger Widgets

[Resenha #1090] A Mulher do Viajante no Tempo - Audrey Niffenegger @pontodeleitura @Suma_BR @cialetras


A Mulher do Viajante no Tempo
Audrey Niffenegger
ISBN-10: 8539002906
ISBN-13: 9788539002900
Páginas: 656
Ano: 2011
Editora: Ponto de Leitura
Idioma: Português
Classificação: 5 estrelas
Skoob

Compre: Saraiva
Sinopse:
"A Mulher do Viajante no Tempo" conta a história do casal Henry e Clare. Quando os dois se conhecem Henry tem 28 anos e Clare, 20. Ele é um moderno bibliotecário; ela, uma linda estudante de arte. Os dois se apaixonam, se casam e passam a perseguir os objetivos comuns à maioria dos casais: filhos, bons amigos, um trabalho gratificante. Mas o seu casamento nunca poderá ser normal. Henry sofre de um distúrbio genético raro e de tempos em tempos, seu relógio biológico dá uma guinada para frente ou para trás e ele então é capaz de viajar no tempo, levado a momentos emocionalmente importantes de sua vida tanto no passado quanto no futuro. Causados por acontecimentos estressantes, os deslocamentos são imprevisíveis e Henry é incapaz de controlá-los. A cada viagem, ele tem uma idade diferente e precisa se readaptar mais uma vez à própria vida. E Clare, para quem o tempo passa normalmente, tem de aprender a conviver com a ausência de Henry e com o caráter inusitado de sua relação.



Resenha:

E se você crescesse esperando de tempos em tempos a aparição do seu futuro marido, como agiria? Essa é a vida que Clare Abshire têm e não é nada fácil, viu.



A primeira vez em que Clare topo com Henry DeTamble - o seu futuro marido - ela tinha seis anos e ele, trinta e seis. Ela estava bem brincando de piquenique quando Henry apareceu pelado. Qual seria a reação de toda criação? Pois Clare tomou a decisão contrária e permaneceu no local entregando a toalha para o desconhecido. Henry explica o seu aparecimento, escreve uma data futura numa folha de papel e entrega a ela dizendo qual data voltará ao campo para vê-la, e desaparece. Esse é o começo da história de amor entre Clare e Henry.

Henry sofre de um distúrbio genético que o faz viajar no tempo para qualquer data num curto espaço de tempo, a data mais antiga sempre remete a Clare. A causa para tal distúrbio é desconhecida e ele não pode controlar o ano em que vai aparecer nem tentar evitar a viagem, os sintomas são diversos para fazê-lo viajar, seja uma carga pesada de estresse a um barulho alto de buzina e... Puf! Viajou no tempo.



Clare cresce sempre esperando os momentos em que Henry aparece, pois não são poucos. Ele a conhece tão profunda que assusta, ela sempre que possível tenta extrair informações do futuro mas Henry é extremamente misterioso. Clare pode ser um livro aberto para Henry mas ele não o é para Clare. E é nesse mistério e puladas grandes de tempo que a história do casal se desenvolve.


Confesso ter ficado bastante agoniado e frustrado com as passagens de tempo, não existe uma linearidade quando se trata de Henry, é uma linha reta com vários pedaços aparecendo e desaparecendo de repente, enquanto que a história de Clare é linear. O cuidado que a autora dedicou a essa obra é surpreendente pois mesmo Henry aparecendo em datas diversas na vida da Clare a história não possui furos, eles sempre são preenchidos em algum momento.



Os capítulos são divididos por datas e a idade que cada personagem têm, a escrita é em primeira pessoa com momentos da mentalidade do enredo e outro da Clare.


O choro foi livre no final do enredo. A sequência dos acontecimentos culmina numa bola grande de emoções que é impossível o leitor não se sensibilizar, ainda mais tendo uma canção calma como fundo musical para a leitura.



A edição de bolso lida possui 656 páginas, pode parecer desanimador mas da feita que você começa a leitura Audrey Niffenegger te prende e o faz devorar as páginas com sua escrita simples e fluida.

A capa do livro é linda demais! A escolha da modelo foi perfeita para representar a Clare.

Concluo dizendo que a experiência de conhecer a Clare e o Henry e sua história de amor foi lindamente enriquecedora, os dois foram feitos para ficar juntos. Houveram momentos que tive vontade de esganar o Henry mas o carinho que ele nutre pela Clare desmanchava qualquer sentimento negativo que eu sentia.
 

Recomendo a leitura para todos os leitores que amam um romance, que suspiram junto aos personagens e que acreditam no amor.

1 comentários:

  1. Sempre quis ler esse livro, mas quando tive oportunidade de ler fiquei com um pé meio atrás, porque nem todos conseguem abordar viagens no tempo de uma forma coerente; mas adorei sua resenha, e da próxima vez que tiver chance de ler não vou hesitar! :D

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...