Blogger Widgets

[Resenha #1095] Perdidos por Aí - Adi Alsaid @Verus_Editora @AdiAlsaid


Perdidos por Aí – Porque às vezes é preciso se perder para poder se encontrar.
Adi Alsaid
ISBN-10: 8576863979
ISBN-13: 978-8576863977
Páginas: 294
Ano: 2015
Editora: Verus
Idioma: Português
Classificação: 3 estrelas
Skoob
Compre: Submarino

Sinopse:
Porque às vezes é preciso se perder para poder se encontrar
Quatro jovens ao redor do país têm apenas uma coisa em comum. uma garota chamada Leila. Ela entra na vida de cada um com seu carro absurdamente vermelho no momento em que eles mais precisam de alguém.
Entre eles está Hudson, mecânico em uma cidadezinha, que está disposto a jogar fora seus sonhos de amor verdadeiro. E Bree, uma garota que fugiu de casa e festeja todas as terças-feiras — além de algumas transgressões ao longo do caminho. Elliot acredita em finais felizes... Até sua vida sair totalmente do script. Enquanto isso, Sonia pensa que, quando perdeu o namorado, também perdeu a capacidade de amar.
Hudson, Bree, Elliot e Sonia encontram uma amiga em Leila. E, quando ela vai embora, a vida de cada um deles está transformada para sempre. Mas é durante sua própria jornada de quase sete mil quilômetros através do país que Leila descobre a verdade mais importante. Às vezes, aquilo de que você mais precisa está exatamente no ponto onde começou. E talvez a única maneira de encontrar o que você está procurando seja se perder ao longo do caminho.



Resenha:


“Alguma vez você já achou que era mais fácil falar do que fazer? Essa coisa de curtir o dia, um dia de cada vez. Carpe diem é uma filosofia bem conhecida, mas, se fosse fácil pôr em prática, não teríamos de passar o tempo todo lembrando uns aos outros.”

Em Perdidos por Aí, vamos conhecer Leila, uma mulher intrigante e estimulante, que com o intuito de ver a Aurora Boreal está viajando para o Alasca. Essa excursão esplêndida, a leva também a conhecer quatro pessoas bem diferentes entre si. Hudson, Bree, Elliot e Sonia, que em conjunto só possuíam uma necessidade absurda de terem um amigo que os escutasse e auxiliasse.


Dessa maneira o livro é divido em cinco partes. Cada personagem entra na vida de Leila com uma perspectiva incomum, enquanto de maneira lenta vamos conhecendo nossa protagonista Leila e suas motivações pessoais. Cada um compartilha um evento que altera a vida de Leila, nem sempre de maneira boa, mas sempre a deixar um ensinamento. A última parte é inteiramente dedicado a Leila e o término de sua aventura.



Hudson é a primeira interação de Leila. Um mecânico que trabalha em uma cidade pequena. Quando o carro de Leila precisa ser revisado eles acabam se envolvendo e de maneira rápida (não convincente) eles passam um dia juntos e se descobrem apaixonados.  Porém essa paixão pode não ser tão benéfica assim para Hudson, que “cego de amor” passa a negligenciar suas obrigações.



Em seguida conheceremos Bree, uma adolescente de espírito livre que caiu na estrada após a morte de seus pais, deixando o restante da família para trás. A seu pedido Leila lhe dá carona. O que era pra ser uma carona descontraída se torna um amontoado de problemas, e decisões bem difíceis terão que ser tomadas por parte da nossa protagonista. Foi a personagem que menos gostei, pois Bree passou de uma jovem alegre, para uma pessoa mimada e fútil.
Partimos em seguida para Elliot, um rapaz que ao se declarar para sua melhor amiga por quem ele acalanta uma paixão avassaladora se vê rejeitado. Totalmente desnorteado acaba bebendo demais e de maneira inconsequente quase é morto pelo carro de Leila. Ela o socorre e faz muito mais que ajudá-lo em seu acidente, ela o ajuda a encontrar meios de ficar com a tão sonhada garota.

A última personagem Sônia é uma moça atormentada pela perda do seu primeiro amor. Ela é convidada para ser a dama de honra no casamento da irmã desse seu ex-namorado e vê sua vida mudar ao se encontrar apaixonada pelo irmão do noivo. O rapaz quer que todos saibam do envolvimento, porém Sonia reluta. Ela fica temerosa do que todos vão achar ao abandonar tão cedo seu luto. Amedrontada, ela acaba fugindo do casamento vestido com o paletó de sua nova paixão. Adivinhem quem dá carona para a moiçola? Isso mesmo, Leila. Porém a confusão começa quando ao saírem dos Estados Unidos Sônia é advertida que as alianças estão dentro do paletó e para seu infortúnio esqueceu bolsa com passaporte no banheiro e que, para tentar salvar um casamento, entrar no Canadá não será tarefa fácil.



Se você curte histórias curtas, acredito que vai gostar deste livro.  Porém não espere um grande aprofundamento dos personagens. Apenas temos pinceladas leves de suas vidas e sentimentos. Uma história simples e jovial, mas não elabora de maneira a provocar grandes emoções.

A capa é bem fofinha. Não encontrei erros de escrita e a diagramação está simples, porém elegante. Recomendo para quem curte uma história simples para passar o tempo.


0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...