Blogger Widgets

[Resenha #1162] A Irmandade Perdida - Anne Fortier @editoraarqueiro @AnneFortier


A Irmandade Perdida
Anne Fortier
ISBN-13: 9788580414523
ISBN-10: 8580414520
Ano: 2015
Páginas: 528
Idioma: português
Editora: Arqueiro
Skoob
Classificação: 4 estrelas
Compre: Amazon

Sinopse: Diana Morgan é professora da renomada Universidade de Oxford. Especialista em mitologia grega, tem verdadeira obsessão pelo assunto desde a infância, quando sua excêntrica avó alegou ser uma amazona – e desapareceu sem deixar vestígios.
No mundo acadêmico, a fixação de Diana pelas amazonas é motivo de piada, porém ela acaba recebendo uma oferta irrecusável de uma misteriosa instituição. Financiada pela Fundação Skolsky, a pesquisadora viaja para o norte da África, onde conhece Nick Barrán, um homem enigmático que a guia até um templo recém-encontrado, encoberto há 3 mil anos pela areia do deserto.
Com a ajuda de um caderno deixado pela avó, Diana começa a decifrar as estranhas inscrições registradas no templo e logo encontra o nome de Mirina, a primeira rainha amazona. Na Idade do Bronze, ela atravessou o Mediterrâneo em uma tentativa heroica de libertar suas irmãs, sequestradas por piratas gregos.
Seguindo os rastros dessas guerreiras, Diana e Nick se lançam em uma jornada em busca da verdade por trás do mito – algo capaz de mudar suas vidas, mas também de despertar a ganância de colecionadores de arte dispostos a tudo para pôr as mãos no lendário Tesouro das Amazonas.
Entrelaçando passado e presente e percorrendo Inglaterra, Argélia, Grécia e as ruínas de Troia, A irmandade perdida é uma aventura apaixonante sobre duas mulheres separadas por milênios, mas com uma luta em comum: manter vivas as amazonas e preservar seu legado para a humanidade.




Resenha:

Você gosta de aventura? Uma boa caça ao tesouro? Gosta de história antiga e mitologia? E de histórias no estilo de Dan Brown? Então você vai adorar esse livro. A Irmandade Perdida é uma história divertida e intrigante. A história sobre as míticas amazonas, tanto no mundo antigo como no moderno, fornecem uma premissa emocionante para o livro.





Este livro é a história de Myrina e Lilli, duas irmãs pertencentes às amazonas que adoram a Deusa da Lua, na idade do bronze e Diana Morgan, a filóloga dos dias atuais, em uma busca para encontrar evidências das Amazonas. Para quem não sabe o que é filologia, é o estudo da linguagem em fontes históricas escritas; É uma combinação de crítica literária, história e linguística.



A protagonista da história, Diana Morgan, tem um nome que combina duas das mais famosas figuras míticas femininas da história. Diana, a caçadora solitária da mitologia romana e Morgan, a bruxa inimiga do Rei Artur.

Diana é abordada por um homem misterioso que lhe diz que a prova de que Amazonas existiu foi encontrado. O homem passa a entregar-lhe uma imagem para sustentar o que ele está dizendo. Diana fica intrigada porque ela é apaixonada por Amazonas e algo sobre a escrita na imagem parece familiar. Acontece que o caderno que a avó deixou foi escrito na mesma língua e assim começa nossa aventura enquanto Diana segue o mesmo caminho que Myrina fez há mais de milhares de anos atrás.




Diana é obstinada e toma suas próprias decisões. Ela não deixa os homens fazerem suas escolhas por ela, mas sim faz o que ela sente que é certo. Ela já é adulta e pode cuidar de si mesma, na maioria das vezes. Às vezes, ela pode precisar ser resgatada e às vezes suas decisões não são das melhores. Por vezes, Diana parece cega de coisas que estão na cara dela, e ela não percebe.


Myrina foi uma personagem interessante para dizer o mínimo. Ambas Diana e Myrina são jogadas em circunstâncias que transformam suas vidas de cabeça para baixo, seguem caminhos semelhantes, mas suas histórias são diferentes. Myrina viaja todo o caminho até uma cidade para encontrar a Deusa da Lua para que sua irmã possa ser curada da cegueira que veio como resultado de uma febre. Myrina é uma irmã maravilhosa e mais do que isso, ela é uma guerreira corajosa. É uma caçadora no coração e uma grande líder. Apesar de todas essas coisas maravilhosas sobre ela, eu nunca gostei muito dela. Eu não gostei dela, mas sua história, embora divertida de seguir, não foi tão agradável quanto a de Diana. Talvez seja porque a história de Myrina tem uma tristeza subjacente a ela. Quando você percebe que tudo isso ocorreu em um passado tão distante, em uma parte da história que foi perdida e pode não ser recuperada, faz você se sentir meio melancólica.




Este livro sobre as amazonas é, naturalmente, estritamente feminista em todas as oportunidades. O livro também levanta a proposição de que todos os mitos são baseados em uma verdade histórica, embora possa estar muito longe do mito em sua forma mais evoluída. O estilo narrativo muitas vezes tende para o melodramático, mas isso é compensado um humor. A narrativa pode ser vista como altamente auto-reflexiva.


O que dizer da capa? Simplesmente linda, a editora está de parabéns pelo belíssimo trabalho realizado nesse livro. A diagramação está perfeita, assim como a tradução e revisão.

"A Irmandade Perdida" é uma história cheia de intrigas, drama, segredos, mentiras, civilizações antigas, mitologia e levanta algumas questões importantes e instigantes sobre alguns dos aspectos atemporais de ser mulher. É uma leitura agradável e provavelmente apelará especialmente aos leitores interessados na mitologia. Uma mistura imaginativa de aventura, mitologia e romance. Recomendo.
Gostou do livro? Compre por um ótimo preço na Amazon



0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...