Blogger Widgets

[Resenha #1228] Marina - Zafón @Suma_BR


Marina
Zafón
ISBN-13: 9788581050164
ISBN-10: 8581050166
Ano: 2011 
Páginas: 189
Editora: Suma de Letras
Skoob
Classificação: 5 estrelas
Compre: Amazon

Sinopse:  “Neste livro, Zafón constrói um suspense envolvente em que Barcelona é a cidade-personagem, por onde o estudante de internato Óscar Drai, de 15 anos, passa todo o seu tempo livre, andando pelas ruas e se encantando com a arquitetura de seus casarões. É um desses antigos casarões aparentemente abandonados que chama a atenção de Oscar, que logo se aventura a entrar na casa. Lá dentro, o jovem se encanta com o som de uma belíssima voz e por um relógio de bolso quebrado e muito antigo. Mas ele se assusta com uma inesperada presença na sala de estar e foge, assustado, levando o relógio. Dias depois, ao retornar à casa para devolver o objeto roubado, conhece Marina, a jovem de olhos cinzentos que o leva a um cemitério, onde uma mulher coberta por um manto negro visita uma sepultura sem nome, sempre à mesma data, à mesma hora. Os dois passam então a tentar desvendar o mistério que ronda a mulher do cemitério, passando por palacetes e estufas abandonadas, lutando contra manequins vivos e se defrontando com o mesmo símbolo – uma mariposa negra – diversas vezes, nas mais aventurosas situações por entre os cantos remotos de Barcelona. Tudo isso pelos olhos de Oscar, o menino solitário que se apaixona por Marina e tudo o que a envolve, passando a conviver dia e noite com a falta de eletricidade do casarão, o amigável e doente pai da garota, Germán, o gato Kafka, e a coleção de pinturas espectrais da sala de retratos. Em Marina, o leitor é tragado para dentro de uma investigação cheia de mistérios, conhecendo, a cada capítulo, novas pistas e personagens de uma intrincada história sobre um imigrante de Praga que fez fama e fortuna em Barcelona e teve com sua bela esposa um fim trágico. Ou pelo menos é o que todos imaginam que tenha acontecido, a não ser por Oscar e Marina, que vão correr em busca da verdade – antes de saber que é ela que vai ao encontro deles, como declara um dos complexos personagens do livro.”




Resenha:

"Marina" foi originalmente lançado na Espanha em 1999 e foi uma deliciosa surpresa para mim. Há algum tempo eu queria ler alguma obra do Carlos Ruiz Zafón e eis que surgiu a oportunidade de ler Marina.

O protagonista desta estória chama-se Óscar Drai, um garoto de 15 anos que vivia em um orfanato na ilustre Barcelona do fim da década de 70. Ao sair nas suas aventuras pelas ruas da Cidade, Óscar se depara com um imenso e aparentemente abandonado casarão. Ele decide então se aventurar na casa e acaba encontrando um relógio, mas se assusta com uma presença na casa e corre, levando consigo o relógio. Óscar passou algum tempo com o relógio, mas considerando que este poderia ser um bem especial de alguém, resolve devolvê-lo. Ao voltar para o casarão, Óscar conhece uma linda e encantadora menina, chamada Marina. Eles logo criam uma conexão bastante especial e Óscar passa a frequentar a casa de Marina e também cria um vínculo com seu pai, Germán. Bem, a partir daí Marina e Óscar se veem diante de um mistério, que envolve a aparição de uma dama vestida de negro, criaturas assustadoras, assassinatos, conspirações, mistérios e terror. 



No início do livro eu tive dúvidas a respeito se Marina era real, ou se apenas uma invenção de Óscar, mas depois que eles passam a viver essa grande aventura eu me convenci de que ela era real, sim hahaha. Ela é, sem sombra de dúvidas, minha personagem preferida do livro. Marina é inteligente, forte, possui uma grande sabedoria para sua idade. Enfim, tem uma beleza esplêndida tanto por dentre quanto por fora. E é justamente por isso que Óscar se apaixona pela garota, colocando-a num pedestal e, infelizmente, considerando-a inalcançável para ele. 

Durante a narrativa o leitor conhece várias estórias das personagens, que vão aparecendo ao longo da história e se desenvolvem de forma impecável. O autor tem uma exímia capacidade de entrelaçar as estórias e envolvê-las na narrativa na hora certa. Sem falar na sua habilidade de descrever os cenários de forma tão detalhada e graciosa.




Este é um livro que te prende do início ao fim, não apenas pelo mistério e constante suspense ao qual o leitor é submetido, mas também pela forma como o relacionamento entre Marina e Óscar se desenvolve, tão doce, delicado e sincero. As estórias paralelas são bastante tocantes (e também um pouco sinistras).

O que eu posso dizer é que o leitor não tem o que esperar deste livro (no bom sentido, claro). Digo isso porque não importa a teoria que o leitor crie, o desfecho da história irá se mostrar algo inesperado, e trágico. Preparem-se para se deliciar e ter uma grande surpresa! Marina é um livro digno de elogios, e agora eu posso dizer, com certeza, que lerei outros livros do Zafón. 


O livro tem tantas passagens marcantes, que ficaria impossível citar todas. A capa ilustra a atmosfera que envolve a história e a editora fez um ótimo trabalho, só notei alguns pequenos erros que passaram na revisão. 

"Todos temos um segredo trancado a sete chaves no sótão da alma. Este é o meu."

"Ninguém entende nada da vida enquanto não entender a morte – acrescentou Marina."

" – De cada adianta toda a geografia, trigonometria e aritmética do mundo se você não souber pensar por si mesmo – argumentava Marina. – E nenhum colégio ensina isso. Não está no programa."

"O tempo faz com o corpo o que a estupidez faz com a alma – disse, apontando para si mesmo. – Apodrece."

"[...] a vida concede a cada um de nós apenas alguns raros momentos de pura felicidade. Às vezes são apenas dias ou semanas. Às vezes anos. Tudo depende da sorte de cada um."

"Nosso corpo começa a se destruir desde que nasce. Somos frágeis. Criaturas passageiras. Tudo o que resta de nós são as nossas ações, o bem e o mal que fazemos a nossos semelhantes."


0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...