Blogger Widgets

[Resenha #1266] O Bebê de Bridget Jones - Helen Fielding @EditoraParalela



O Bebê de Bridget Jones. Os Diários
Helen Fielding
ISBN-10: 8584390502
ISBN-13: 978-8584390502
Páginas: 240
Ano: 2016
Editora: Paralela
Idioma: Português
Classificação: 3 estrelas
Skoob
Compre: Amazon

Sinopse:
Depois de muita pressão dos amigos e familiares (e do seu próprio relógio biológico), Bridget está grávida! Como não poderia deixar de ser, esse não era exatamente o seu plano. Agora, ela vai ter que enfrentar os mil conselhos das amigas solteiras (e frequentemente bêbadas), assim como os de mães esnobes e cheias de regras. E, entre aulas de maternidade, toques de romantismo, batatas gratinadas, ondas de hormônios e muita felicidade, ainda vai precisar encontrar a resposta para a pergunta que todos parecem fazer: “Quem é o pai?”.




Resumo:

Tanto Mark Darcy quanto Daniel Cleaver estão de volta em mais um livro da série, porém, nesse louco retorno, eles estão disputando um bebê! Como assim? Simples amigos, devido algumas loucuras da nossa protagonista Bridget Jones, ela acabou engravidando, no entanto não sabe qual dos dois é o pai do seu bebê!

“Por favor, não fique horrorizado. Espero que, quando estiver lendo isto, já tenha idade suficiente para entender que até seus pais passaram por esse tipo de coisa. E você sabe que nunca fui um exemplo de bom comportamento.”



Nesse livro, Bridget Jones está em sua melhor forma, finalmente conseguiu emagrecer e sua vida profissional é um sucesso. O que está de errado então? Quarentona, ela continua sozinha e a procura de seu amor e seu relógio biológico parece gritar: seja mãe agora! (Embora eu não enxergue isso como problema).

Bridget e Mark tiveram um relacionamento no passado, porém cada uma seguiu com sua vida. Agora, anos depois, eles se reencontram num batizado e toda aquela paixão mal resolvida vêm à tona e depois de umas doses na cabeça eles resolvem dar mais que bons “amassos”. Entretanto, após esse encontro explosivo eles prosseguem com suas vidas, e chateada com tal situação Bridget se sente a última das criaturas. Numa (esperada) crise de autopiedade ela se encontra com o mulherengo Daniel Cleaver e como a carne é fraca, Bridget se entrega aos encantos do notório sedutor.



Agora, deduzam o que acontece... BINGO! Dessa noitada anormal Bridget descobre que está grávida e não tem a mínima ideia de quem seja o pai da criança! Claro que Mark e Daniel irão disputar esse filho e a rixa que eles detinham por conta de acontecimentos do passado fica ainda mais aflorada, o que leva os leitores a rir insanamente desses futuros pais transloucados. 



Bridget embora tenha amadurecido profissionalmente continua imatura quando o assunto é seu coração, e mesmo o livro sendo divertido, com personagens agradáveis e reviravoltas suficientes para prender o leitor, continuo achando que Bridget tem o péssimo hábito de não se achar suficiente.



A história é curtinha, a capa é fofa e a fonte e diagramação perfeita, todavia sempre fico com aquele gostinho que Bridget Jones é divertida, mas sua dificuldade em assumir a responsabilidade pelos próprios atos é irritante.


0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...